Na quinta-feira (25) a Associação Fluminense de Reabilitação (AFR), em Icaraí, festejou 62 anos de fundação com direito a muita música, ação social em uma ‘live do bem’ para angariar fundos e também com detalhes sobre a retomada dos serviços. A instituição vai abrir as portas na próxima quarta-feira (1º de julho) com um esquema especial para garantir a segurança dos pacientes e funcionários. A direção da unidade está realizando uma triagem dos pacientes para definir quem vai poder voltar ao tratamento. A entidade também vai começar a contar com teleatendimento de alguns pacientes para dar continuidade aos tratamentos.

Ontem foi realizada uma reunião com a Fundação Municipal de Saúde de Niterói para justamente alinhavar os detalhes para a volta do serviço. O Superintendente Telmo Hoelz explicou que devem voltar aos tratamentos os pacientes com menor morbidade.

“Todos teremos que aprender a como lidar com esse chamado ‘novo normal’. Aqueles que possam se locomover sem riscos poderão voltar aos tratamentos, somente os que estão fora dos grupos de risco”, explicou. A princípio alguns setores não vão voltar a funcionar como os responsáveis por órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, que são cadeiras de rodas, muletas e andadores. “Esses atendimentos são mais pontuais e não exigem deslocamentos constantes dos pacientes. Alguns estão aguardando há meses pela entrega de algum equipamento”, completou.

A fonoaudióloga da AFR, Paola Amaral, trabalha no Programa Reintegrar da AFR e disse que a estimativa desse setor é trabalhar com 50% da capacidade.

“Os teleatendimentos serão também uma possibilidade de acolher muitos destes que não poderão estar fisicamente presentes nesse momento. Visando a integridade dos pacientes e seguindo as orientações dos órgãos de saúde, muitos destes clientes não estarão aptos ao retorno imediato”, frisou.

A AFR está fechada desde março e funcionários criaram uma ‘vaquinha virtual’ para juntar dinheiro para compra de equipamentos de proteção individual para os funcionários e prestadores de serviço. Já foi arrecadado mais de R$ 12.500 e o objetivo é R$ 30 mil. A Prefeitura de Niterói foi questionada sobre a reunião mas não se manifestou até o fechamento dessa edição.

Ao todo são 220 funcionários e 200 estagiários e a AFR recebe mensalmente pelo Sistema Único de Saúde 1.014 pacientes com deficiências físicas e intelectuais, além de aproximadamente 300 pacientes procedentes de 66 municípios do Estado. De acordo com informações da instituição além desses atendimentos pelo SUS a AFR atende a 500 pacientes encaminhados por planos de saúde ou particulares e mensalmente são realizados cerca de 20 mil atendimentos nas diversas áreas.

HISTÓRIA
De acordo com nota da AFR a instituição foi fundada em 25 de junho de 1958. Há mais de 50 anos a AFR é uma instituição filantrópica reconhecida de utilidade pública, que atua na melhoria da qualidade de vida de crianças, adolescentes e adultos com deficiências. A AFR é um Centro de Reabilitação pioneiro no Brasil na aplicação de técnicas Multi, Inter e Transdisciplinares de terapias de Reabilitação e Medicina Física. A AFR foi criada no auge do surto brasileiro de poliomielite. Hoje é um Centro de Referência em Reabilitação habilitado junto ao Ministério da Saúde como CER II, nas especialidades Física e Intelectual para atendimentos de pacientes com alta complexidade.

 

Fonte: A Tribuna