Visitação será gratuita para todos, no mês de setembro

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói completa 25 anos, nesta quinta-feira, dia 2 de setembro, com muita história para contar, por meio da arte. O aniversário é do museu, mas quem ganha o presente é o público, com uma programação diversificada, ao longo do mês, a partir do dia 8, para celebrar em grande estilo esta data tão especial.

As comemorações incluem uma grande ocupação das artes visuais em todos os espaços do museu: galerias internas, rampa e praça. Serão 7 exposições ao todo, além de outras programações artísticas e culturais. Com esta iniciativa, vem a ideia da quebra das suas próprias barreiras físicas: um museu que se espalhe pela cidade, pelas redes.

O visitante só conseguirá ver todas as exposições se for ao ambiente virtual (Transeuntis Mundi), se for até a praia da Boa Viagem (Samba exaltação), precisando estar dentro e fora.

 

PROGRAMAÇÃOAbertura das exposições para o público – 08 de setembro

ÁREA INTERNA

Instalação 90 | 25 – com curadoria de Marcus de Lontra Costa

– Ícones e Arquétipos, de Oskar Metsavaht – Salão Principal
– A simbologia da paisagem – Varanda
– A materialização do invisível – Mezanino

Transeuntis Mundi – Mezanino e virtual – um projeto de Cândida Borges e Gabriel Mario Vélez

MAC Origens – Recepção – Coleção de imagens, documentos e objetos importantes na história dos 25 anos do MAC

ÁREA EXTERNA

Samba Exaltação – Praça – Texto Curatorial de Alexandre Sá

Monumento Comemorativo dos 25 anos do MAC Niterói – Praça – Curadoria de Priscilla Allegretti

Atividades Culturais na programação de aniversário

– 11 e 12 de setembro – Cia de Ballet da Cidade de Niterói
– 20 de setembro – Basta Ter Princípios: Projeto MAC Audiovisual
– 23 de setembro – Seminário de Arte e Cultura LGBTI

 

“Os traços marcantes do gênio Oscar Niemeyer atraem olhares de todo o mundo para o mirante da Boa Viagem, onde as curvas do Museu de Arte Contemporânea se integram à exuberante paisagem da Baía de Guanabara. Em 2021, ao completar 25 anos, o MAC se ratifica como um dos principais espaços culturais do País e encara o desafio de se aproximar ainda mais dos niteroienses. Exposições e demais atividades ali realizadas cumprem a importante missão de manter nosso MAC como sinônimo de vanguarda, um marco da pluralidade cultural contemporânea, acessível a todos que moram aqui e àqueles que vêm nos visitar. Cultura e liberdade de expressão são direitos de todos e alicerces para o desenvolvimento sustentável, com inclusão social”, destaca o prefeito de Niterói, Axel Grael.

Ao chegar na Praça do Museu, o público será recebido por um grande monumento, erguido em homenagem aos 25 anos, em diálogo com a arquitetura de Niemeyer. Já para as galerias do Museu, os monumentos que pairam sobre os céus da Guanabara: de um lado o MAC e do outro o Cristo Redentor, que está completando 90 anos. Daí, a instalação se chamar 90 | 25. No mezanino, algumas das principais obras das Coleções MAC e Sattamini, garantindo sua função pública e cultural. Diversos autores e trabalhos de extrema importância para arte contemporânea brasileira estarão ao alcance do público, incluindo Lygia Clark, Tunga, Beatriz Milhazes e Ricardo Ventura.

Ao terminar a visita, o público será brindado com o MAC trazendo a sua própria origem, sua história e sua construção. Serão diversos documentos, publicações e imagens que retratam um pouco esse período do museu, incluindo a primeira exibição pública do livro de ouro do MAC, que guarda depoimentos e assinaturas de grandes personalidades que visitaram o museu em seus 25 anos.

Ao longo do mês, outras linguagens estarão presentes na programação, como a Cia de Ballet (nos dias 11 e 12), trazendo a dança contemporânea da cidade para o interior do museu, em uma apresentação inédita criada exclusivamente para os 25 anos do MAC. Haverá também o Seminário de Arte e Cultura LGBTI, no dia 23, e a atividade de arte e cultura urbana “Basta ter princípios”, com transmissão nas redes virtuais. Assim, será iniciado o processo de expandir o museu para além do Mirante da Boa Viagem e das artes visuais.

Marcos Sabino, Presidente da FAN

“Tenho uma relação muito próxima com o MAC, porque acompanhei o nascimento da ideia e, depois, todo o processo de construção. Como toda obra de Arte importante, o MAC já nasceu despertando os mais diversos sentimentos nas pessoas e isso acontece até hoje quando os visitantes da cidade se surpreendem ao avistá-lo. O Museu tem sido cuidado com muita responsabilidade e carinho por todos os governos que se instalaram na cidade. Em 2016, o ex-prefeito Rodrigo Neves fez uma importante reforma no MAC, modernizando e valorizando ainda mais sua beleza arquitetônica. Ao completar 25 anos, o Museu de Arte Contemporânea, na gestão do prefeito Axel Grael, se insere definitivamente na alma niteroiense com investimentos e ideias novas para o futuro. O MAC é mais do que um Museu, é uma obra de arte, um templo para a Cultura de Niterói e do mundo”, ressalta o presidente da Fundação de Arte de Niterói, Marcos Sabino.

Na solenidade fechada, em comemoração ao aniversário, na terça-feira (07), será lançado o 1º Plano Museológico do MAC Niterói, garantindo um planejamento de cinco anos para as ações do museu. Além disso, resgatará também o Conselho Deliberativo, decretado quando o equipamento foi inaugurado. Assim, a garantia de que a participação popular fará parte do dia a dia do MAC, trazendo também a população e o artista niteroiense para discutir a gestão dessa instituição tão importante. Para evitar aglomerações, neste dia, o Museu estará fechado para convidados com horário marcado.

Também será inaugurado um programa de mediação geopoética guiada, reconhecendo a integração do museu com o meio ambiente, a paisagem e os povos originários, despertando sensibilidades e afetos, por meio da arte e da memória.

Leonardo Giordano, secretário das Culturas de Niterói

“Pensar Niterói é pensar no MAC. A identidade cultural da cidade é marcada por esse patrimônio valioso, que é uma referência mundial na arquitetura, graças ao mestre Niemeyer, que assinou as curvas futuristas do museu. Além do acervo próprio, o MAC abriga uma das mais importantes coleções de arte contemporânea do país, que projeta Niterói na vanguarda do segmento. Nesses 25 anos de MAC, o legado é imensurável. A contribuição para a arte, para a educação, as ações de formação, inclusão e integração social foram constantes no museu. Nossa cidade tem muito orgulho desse espaço, que projeta nossa cultura para o mundo”, diz o secretário municipal das Culturas, Leonardo Giordano.

Victor de Wolf, diretor do MAC Niterói

O diretor do MAC Niterói, Victor De Wolf, destaca a importância da data:

“Celebraremos os 25 anos do MAC com o mesmo orgulho que os niteroienses têm de viver nesta cidade, com esse incrível símbolo. O MAC olha pro seu próprio passado, mantendo viva sua missão de ser um abrigo da arte contemporânea, mas se recolocando também como um museu que traz o novo, que pauta os debates importantes da sociedade e que busca, ativamente, retomar seu afeto com a cidade e com os niteroienses. Um museu de Niterói para o mundo”, analisa.

Sobre o MAC Niterói

 

 

Obra de Oscar Niemeyer, o Museu de Arte Contemporânea de Niterói – espaço administrado pela Prefeitura de Niterói, por meio da Secretaria Municipal das Culturas e Fundação de Arte de Niterói – foi construído no dia 2 de setembro de 1996, para abrigar as obras da importante coleção de João Sattamini. O Museu, que em 2016 passou por uma reforma inédita de modernização, completa 25 anos no dia 2 de setembro.

Belo e absolutamente surpreendente, se abrindo como uma flor, o museu conta também com a Coleção MAC Niterói, com obras de arte incorporadas ao acervo por meio de doações de artistas que ali fizeram exposições. Na primeira entrada, fica o pavimento de recepção e administração. Logo acima, o segundo pavimento abriga o salão central de exposições envolto por uma varanda circular envidraçada, destinada também a mostras, e, acima, o mezanino, totalizando uma área de mil metros quadrados, de onde se pode admirar a paisagem panorâmica da Baía de Guanabara. No subsolo, o visitante encontra um auditório para 60 espectadores.

Nesses 25 anos, foram recebidas mais de 2.800.000 pessoas no museu, nomes como David Bowie, Juliette Binoche, o ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, entre outros, estiveram no equipamento e deixaram seu relato no livro de ouro. Foram realizadas mais de 185 exposições ao longo desses anos.

SERVIÇO

Abertura das 7 exposições do MAC para o público
Data: 8 de setembro, quarta-feira

Visitação:
Galerias (de terça a domingo, das 11h às 16h)
Pátio (de domingo a domingo, das 9h às 16h)

Local: MAC Niterói
End: Mirante da Boa Viagem, sem número – Niterói
Informações: 2722-1543 ou pelas redes @macniteroi

Fonte: Culturaniteroi
Clique aqui para imprimir