Niterói subiu duas posições e chegou ao 9° lugar geral do Ranking Connected Smart Cities 2021. O município ainda conquistou o 1° lugar no eixo Governança. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, durante evento em São Paulo, com a presença do prefeito Axel Grael, que recebeu as premiações e participou de uma mesa redonda em que falou sobre iniciativas de Niterói na agenda das cidades inteligentes.

No ano passado, Niterói ocupou a 11ª posição no ranking geral e o 7° lugar em Governança. Na primeira edição, em 2015, a cidade estava em 17° lugar no país. O Ranking Connected Smart Cities, desenvolvido pela Urban Systems, mapeia todas as cidades com mais de 50 mil habitantes (666 cidades) com o objetivo de definir aquelas com maior potencial de desenvolvimento do Brasil, sendo dividido em quatro resultados: geral, por eixo temático, por região e por faixa populacional.

Durante o evento, Axel Grael enfatizou que uma cidade inteligente deve ser orientada aos seus cidadãos, e o desenvolvimento deve ser pautado no conhecimento, na sustentabilidade e na inclusão. De acordo com o prefeito, a plataforma Connected Smart Cities proporciona um espaço de troca entre os setores público e privado com o objetivo de reunir dados e trazer novas ideias para avançar em diversas áreas, por meio de políticas que atendam aos cidadãos de uma forma humana, inovadora e sustentável.

“Demos um grande impulso na agenda da tecnologia para administração pública e gestão da cidade após 2014, quando implementamos o Sigeo. Essa foi uma plataforma que deu o alicerce para várias outras iniciativas, como o Cisp, o CCO Mobilidade, o Cercamento Eletrônico e o COLAB, que facilita a comunicação com a população, e permite que a Prefeitura faça consultas públicas”, elencou o prefeito.

Baseado nos pontos apontados pelo Connected Smart Cities, Niterói vem avançando por meio da execução de projetos estruturantes e planos temáticos visando a melhoria dos seus indicadores. O município vem investindo em ações que integram os indicadores relativos à governança, como a realização de projetos de monitoramento de área de riscos e contenção de encostas; realização de projetos urbanísticos inovadores, aumento dos investimentos em segurança, saúde e educação, bem como por meio de uma gestão comprometida com a transparência e racionalização dos gastos públicos.

Durante mesa redonda com representantes de outras cidades que tiveram desempenho de destaque no ranking, o prefeito falou sobre a experiência de Niterói na implantação do Centro de Controle Operacional (CCO) da Mobilidade, a elaboração do Plano Diretor de Cidades Inteligentes com o apoio do governo da Coreia do Sul, a criação do Sistema de Gestão da Geoinformação (SiGeo) e o Programa de Desenvolvimento de Projetos Aplicados (PDPA) construído a partir de uma parceria entre a Prefeitura e a Universidade Federal Fluminense (UFF).

“Uma cidade inteligente usa a infraestrutura tecnológica como força impulsionadora, sempre aliada às análises complexas de dados, que junto à voz da população, norteia a tomada de decisão”, pontuou.

Eixos temáticos – Nos eixos de governança, urbanismo, saúde, educação e meio ambiente, Niterói ficou em 1°, 3°, 6°, 11°, 10° lugares, respectivamente, no ranking nacional. Na área de tecnologia e inovação, a cidade deu um salto do 48° para o 10° lugar no País.

Fonte: OFluminense

Clique aqui para imprimir