Quem passa pela Ponte Rio-Niterói sempre deve ficar curioso a respeito de um palacete no alto de um morro, atrás de um estaleiro, no bairro de Ponta d’Areia, em Niterói. Pois trata-se do Palacete da Condessa que pertenceu à Família Pereira Carneiro que foi proprietária do Estaleiro Mauá. 

Conhecido como o Palacete da Condessa, esposa do Conde Pereira Carneiro, antigo proprietário também do Jornal do Brasil, era uma segunda casa para os negócios da família que não precisava se deslocar diariamente para o Rio quando nem existia a ponte.

Construído em 1918, é uma construção que mescla os estilos revivalistas como tudor, normando e medieval. As duas torres redondas eram banheiros, a cozinha tinha um fogão de lenha com azulejos antigos lindíssimos e o piso era de vidro. No térreo, um suntuoso salão social. A casa tinha ainda um elevador mecânico e bombas que levavam a água do mar até a piscina.

Até final de 1970 foi usado normalmente pelas famílias que se sucederam na propriedade do Estaleiro.

Com a crise da indústria naval, a partir do final de 1970, o palacete e o estaleiro ficaram abandonados. No final dos anos 80 o estaleiro foi reativado. O palacete chegou a ser parcialmente recuperado para servir de Museu da Industria Naval.

O Mauá hoje é tido como o mais experiente e tradicional estaleiro em operação no Brasil com atividades desde 1845. Com uma área de 180.000 m2, tem capacidade de processamento de 36.000 ton de aço por ano e é o maior estaleiro na Baía de Guanabara.

Fonte: https://bafafa.com.br/

Clique aqui para imprimir