Com redução de casos, Prefeitura libera uso de máscara em Niterói em locais fechados
Publicação: 01/04/2022
Categorias: Notícias
Autor: Quero Morar em Niterói

A Prefeitura de Niterói decidiu, na última quarta-feira (30), retirar a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes fechados. A decisão, que começa a valer na sexta-feira (1º), foi tomada em conjunto com o Comitê Científico e analisou a progressão da vacinação, o número de casos, óbitos e de internações por Covid-19. Atualmente, a cidade tem apenas quatro pacientes internados em enfermaria e nenhum em UTI. Desde 14 de março, o uso de máscaras em locais abertos é facultativo.

“Encerrei há pouco uma reunião com o Comitê Científico em que ficou decidido por unanimidade a liberação do uso de máscaras também em locais fechados em Niterói. Nesta quinta-feira (31) será publicado um novo decreto com orientações gerais, o Município recomenda a utilização em casos especiais, como para imunossuprimidos, pessoas com sintomas gripais, entre outros. Vale ressaltar que só foi possível dar esse passo graças ao alto índice de vacinação em Niterói, por isso é fundamental manter o calendário vacinal em dia. Fico feliz com essa conquista que se deu devido à responsabilidade e comprometimento dos niteroienses na adesão em massa à imunização”, afirmou o prefeito Axel Grael.

O decreto será publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (31) e entra em vigor no dia 1º. Dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que foram aplicadas mais de 1 milhão de doses de vacinas contra a Covid-19 na cidade. De acordo com o painel de acompanhamento, disponível no site oficial da Prefeitura de Niterói, 100% da população acima de 18 anos já foi vacinada com a primeira dose e 99,9% com a segunda. Quando analisada a população geral, 93,3% receberam a D1 e 83,4% a D2 ou dose única.

Os índices são superiores aos alcançados pelos estados brasileiros. O Estado do Rio de Janeiro tem 79,13% de sua população vacinada com uma dose e 70,96% com duas doses ou dose única, de acordo com o consórcio da imprensa. Em comparação com o Brasil, Niterói também está à frente. O país registra 81,78% dos brasileiros com a primeira dose e 74,63% totalmente imunizados (com duas doses ou dose única).

“Graças à adesão da população ao processo de vacinação em Niterói e às medidas que a Prefeitura tem tomado desde o início da pandemia, a cidade zerou o número de internados em UTI com a doença. Fizemos uma avaliação com o comitê científico e chegamos à conclusão de que é oportuno, com responsabilidade, reduzirmos as medidas restritivas na cidade. Lembramos sempre que estamos em vigilância constante e temos toda a capacidade de dar uma resposta rápida, se identificarmos algum tipo de necessidade de expandir a rede de saúde. Mantivemos, também como recomendação, o uso de máscaras em transportes públicos, imunossuprimidos, gestantes, idosos e pessoas com sintomas gripais”, explica o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira.

Niterói tem 14.079 casos confirmados da doença e 77 óbitos em 2022. Desde o início da pandemia, 70.463 moradores da cidade se recuperaram da Covid-19.

De acordo com o epidemiologista Rômulo Paes, que representa a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Comitê Técnico Científico Consultivo criado pela Prefeitura, Niterói tomou as medidas necessárias para combater a pandemia.

“Apoiamos a liberação do uso de máscaras em Niterói porque a cidade tem melhor cobertura vacinal da Região Metropolitana do Rio e os indicadores de saúde foram melhores que as cidades do entorno durante toda a pandemia. Isto é consequência do maior engajamento da população de Niterói às medidas de prevenção”, explicou Rômulo Paes. O especialista também apontou que cidades vizinhas já suspenderam o uso das máscaras em ambientes fechados, e os indicadores de saúde não apresentaram piora expressiva.

De acordo com a decisão, a obrigatoriedade da máscara poderá ser novamente convocada caso necessário. O uso do equipamento continua recomendado para idosos, gestantes, imunossuprimidos, pessoas com sintomas gripais, dentro de transportes públicos, em elevadores, em estabelecimentos de saúde assistenciais, como hospitais, farmácias, laboratórios e clínicas. As instituições de ensino podem decidir sobre o uso do equipamento dentro de suas instalações.
Combate à pandemia – Em dois anos de pandemia, a Prefeitura de Niterói adotou medidas que lhe renderam reconhecimento internacional por sua atuação no combate à Covid-19. Foram mais de R$ 1 bilhão investidos em dezenas de ações de enfrentamento à pandemia, estruturadas para mitigar os impactos na dimensão da saúde pública, da economia e atendendo a população mais vulnerável. Niterói foi a cidade que mais investiu recursos em programas sociais e de apoio às empresas, através de programas como a Moeda Social Arariboia, o Renda Básica Temporária e o Empresa Cidadã. Desde o início da crise, a administração adotou posição pioneira e foi uma das primeiras do País a implementar medidas de prevenção contra a Covid-19.

Apenas na área de saúde, foram tomadas mais de 220 ações, desde a distribuição de kits de limpeza e sanitização das ruas até a criação do primeiro hospital exclusivo de Covid-19, em abril de 2020. Através do Programa Novo Normal Niterói e do Plano de Transição Gradual para o Novo Normal, foram implementadas medidas de restrição, indicadores de monitoramento e protocolos sanitários, sempre com o acompanhamento do Comitê Científico.

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.